Medicina S/A: Fórum gratuito debate Cuidados Paliativos para Pacientes

Em algumas instâncias, o conceito sobre cuidados paliativos ainda recai em direcionar o atendimento somente aos pacientes em fase final de tratamento na vida, como uma espécie de alívio em uma situação na qual não há mais o que ser feito. Entretanto, o cuidado paliativo é um tratamento multidisciplinar, que reúne profissionais de diferentes áreas, com o objetivo de aumentar a qualidade de vida de pacientes com doenças graves e, em sua maioria, incuráveis, o que também significa dizer que pacientes com doenças curáveis podem ser submetidos a ele.

A médica paliativista Ana Claudia Quintana Arantes esclarece que todos os recursos diagnósticos são utilizados como ferramentas de informação e apoio, no sentido de oferecer qualidade de vida a cada pessoa que procura pelo cuidado paliativo, nos diferentes estágios de evolução de uma doença que coloca a vida em risco. “Cuidado paliativo não substitui nenhum tipo de tratamento. Ao contrário, ele vem somar medidas avaliadas por todos os profissionais envolvidos neste tipo de ação, para que os tratamentos dispensados aos pacientes ocorram da melhor maneira possível. A ideia é que o cuidado paliativo auxilie a hierarquizar medidas que potencializem benefícios e evitem ou reduzam malefícios em cada fase de determinada doença”, explica Arantes.

Igualmente importante mostrar que os tratamentos para doenças incuráveis não se restringem exclusivamente à oncologia. Há diversos tipos de doenças que requerem atenção por tratarem de diagnósticos crônicos e graves. Assim, todos os pacientes com doenças cardíacas, oncológicas, pulmonares, renais, neurológicas, AIDS, diabetes, síndromes das mais diversas e outras condições médicas podem se beneficiar dos cuidados paliativos, estejam ou não lidando com o fim de suas vidas.

“Há ainda certa confusão sobre o conceito de cuidado paliativo constituir um diagnóstico, em vez de uma abordagem de cuidados, o que resulta em um tratamento, com um conjunto específico de ações para cada caso”, afirma a médica paliativista.

A redefinição do conceito de cuidados paliativos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), ocorrida em 2002, trata do tema como “uma abordagem que aprimora a qualidade de vida, dos pacientes e famílias que enfrentam problemas associados com doenças, através da prevenção e alívio do sofrimento, por meio de identificação precoce, avaliação correta e tratamento da dor, e outros problemas de ordem física, psicossocial e espiritual”.

Ainda de acordo com a OMS, o foco no cuidado paliativo não é a doença e sim o doente, exigindo de profissionais da área da saúde o exercício de um novo olhar sobre o cuidado mais humanizado. Por este motivo, surge a necessidade de treinar e capacitar profissionais de diversas áreas que possam tratar das dimensões física (todos os profissionais da saúde); emocional (psicólogo, psicoterapeuta, psicanalista, psiquiatra); espiritual (sacerdotes de diferentes crenças religiosas professadas pelo próprio paciente); social e familiar (do voluntário ao assistente social, entre outros).

Paciente tem voz em evento que trata do tema

O 1º Fórum Nacional de Cuidados Paliativos para Pacientes, idealizado pela Casa do Cuidar, em parceria com a Casa Paliativa, que traz à tona o protagonismo de pacientes e familiares, já recebeu mais de 8 mil inscrições.

O evento, totalmente gratuito, acontece nos dias 8 e 9 de outubro, em formato on-line, e traz como proposta aproximar a população, profissionais da saúde e de demais áreas sobre a importância desse tipo de tratamento, além de abrir o debate para todos que se encontram inseridos no contexto das doenças graves e crônicas.

A jornalista e escritora, Ana Michelle Soares, também coordenadora da Casa Paliativa e uma das idealizadoras do evento, fala sobre sua experiência com o câncer de mama metástico de maneira clara, sincera, sem rodeios. “A proposta é a de ressaltar a importância de esclarecer ao maior número de pessoas o que são os cuidados paliativos, o que esse tipo de tratamento pode proporcionar a pacientes de diversas doenças graves, a seus familiares e cuidadores, e ainda dos direitos reservados a esse público”, explica Soares.

Como participar

Para obter mais informações sobre programação, inscrições e certificação para estudantes de graduação e profissionais da área de saúde, basta acessar a página do evento:https://bit.ly/Forum_wpp-grup.

Quem pode participar

Todos os interessados são bem-vindos: pacientes, familiares, amigos, cuidadores, simpatizantes, estudantes de graduação e profissionais de saúde.

Fonte: Portal Medicina S/A

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui