Coemergência Podcast: É preciso saber morrer?

A médica Ana Claudia Quintana Arantes, que trabalha há 20 anos com doentes terminais. Imagem: Simon Plestenjak.

Por que temos tanta dificuldade de aceitar o processo de envelhecimento? Por que não queremos falar sobre a morte? O que podemos fazer para nos prepararmos para o inevitável? Como lidar com o luto? Qual a importância das nossas escolhas agora para os momentos futuros?

Foi sobre tudo isso e muito mais que a Dra. Ana Claudia Quintana Arantes conversou com a gente nesse episódio. Ela contou um pouco de sua trajetória e suas descobertas, em especial como o cuidar do outro e o autocuidado foram divisores de águas na sua vida e carreira –  algo também significativo para todos nós.

Além de ser um tema que mexe com todos nós e da perspectiva da Ana Claudia ser preciosa, a questão é muito urgente: o Brasil está entre os 40 piores países para morrer, nossa cultura tenta “consertar” o envelhecimento e temos muita dificuldade de lidar com o sofrimento (nosso e do outro). A morte, além de ser um dia que vale a pena viver, é um tema sobre o qual vale a pena falar. Quem sabe descobrimos se é preciso saber morrer…

Ana Claudia Quintana Arantes é médica formada pela USP com residência em Geriatria e Gerontologia no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Tem especialização em Cuidados Paliativos pelo Instituto Pallium e Universidade de Oxford. Ana Claudia é autora do livro “A morte é um dia que vale a pena viver” e co-autora do livro “Cuidando de quem cuida”.

Se você vai morrer um dia, aperte o play (o quanto antes)!

Clique aqui pra ouvir o podcast na íntegra!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui