Conversas sobre Morte e Depressão entre Estudantes de Medicina

O estudante de medicina no Brasil é submetido a um nível extremo de estresse. A quantidade de horas de aula, de estudo em todos os períodos somados ao número de horas de estágio nos últimos períodos de formação já seriam suficientes para levar todos ao esgotamento físico. Mas ainda assim, tudo piora com a pressão emocional, as dificuldades sociais e familiares, a falta de tempo em cuidar-se. E somada a tudo isso, chega a incapacidade quase total da imensa maioria das faculdades de medicina no Brasil em oferecer alguma base sólida e organizada de conhecimentos teóricos, ferramentas ou habilidades na formação do futuro médico frente aos cuidados necessários ao sofrimento dos pacientes. Por fim, ainda enfrentam a falta de reconhecimento da necessidade de suporte ampliado ao aluno de medicina.

Tudo isso nos traz a uma realidade perversa a muitos jovens num desfecho trágico: atualmente enfrentamos índices assustadores de depressão, ansiedade, abuso de drogas e suicídios entre estudantes de medicina.

Precisamos conversar abertamente sobre tudo isso refletindo sobre como podemos sobreviver e ajudar a sobreviver a estas condições que, provavelmente, devem demorar muito para mudar.
Se o ambiente não muda por si, nós podemos mudar o nosso ambiente. Ao menos o ambiente do lado de dentro.

Conversa aberta com a Dra Ana Claudia Quintana Arantes, sem cortes, no dia 18 de janeiro de 2018, quinta-feira, on line, GRÁTIS para estudantes de medicina. Os recursos arrecadados com as inscrições desta conversa serão dedicados à realização de workshops de autocuidado para grupos de alunos.

Compartilhar

Deixe sua opinião

Digite eu comentário
Digite seu nome